Brastra.gif (4376 bytes)

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

DECRETO DE 28 DE DEZEMBRO DE 2001.

Dispõe sobre a Comissão Coordenadora do Zoneamento Ecológico-Econômico do Território Nacional e o Grupo de Trabalho Permanente para a Execução do Zoneamento Ecológico-Econômico, institui o Grupo de Trabalho Permanente para a Execução do Zoneamento Ecológico-Econômico, denominado de Consórcio ZEE-Brasil, e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a", da Constituição,

DECRETA:

Art. 1o A Comissão Coordenadora do Zoneamento Ecológico-Econômico do Território Nacional, instituída pelo Decreto no 99.540, de 21 de setembro de 1990, tem as seguintes atribuições:

I - planejar, coordenar, acompanhar e avaliar a execução dos trabalhos de zoneamento ecológico-econômico;

II - articular com os Estados, apoiando-os na execução dos seus respectivos trabalhos de zoneamento ecológico-econômico, compatibilizando seus trabalhos com aqueles executados pelo Governo Federal.

 Art. 2o  A Comissão Coordenadora será integrada por um representante de cada Ministério a seguir indicado:

I - da Justiça;

II - da Defesa;

III - da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

IV - do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior;

V - de Minas e Energia;

VI - dos Transportes;

VII - do Desenvolvimento Agrário;

VIII - do Planejamento, Orçamento e Gestão;

IX - da Ciência e Tecnologia;

X - do Meio Ambiente; e

XI - da Integração Nacional.

XII - do Desenvolvimento Social e Combate à Fome;              (Incluído pelo Decreto de 12 de fevereiro de 2004)

XIII - das Cidades.              (Incluído pelo Decreto de 12 de fevereiro de 2004)

Art. 2o  A Comissão Coordenadora será integrada por um representante:                 (Redação dada pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

I - de cada Ministério a seguir indicado:                 (Redação dada pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

a) da Justiça;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

b) da Defesa;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

c) da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

d) do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

e) de Minas e Energia;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

f) dos Transportes;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

g) do Desenvolvimento Agrário;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

h) do Planejamento, Orçamento e Gestão;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

i) da Ciência e Tecnologia;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

j) do Meio Ambiente;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

l) da Integração Nacional;                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

m) do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; e                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

n) das Cidades; e                 (Incluído pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

II - da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.                (Redação dada pelo Decreto de 19 de agosto de 2008)

§ 1o Compete ao representante do Ministério do Meio Ambiente coordenar os trabalhos da Comissão.

§ 2o  O coordenador da Comissão poderá convidar representantes de entidades governamentais ou de outras instituições para participarem das reuniões, sem direito a voto, ou dos trabalhos de zoneamento.

§ 3o  Os Governos Estaduais serão convidados para integrar a Comissão Coordenadora, na condição de membros, quando áreas de seus respectivos territórios forem objeto de zoneamento.

§ 4o  A Comissão Coordenadora será assessorada tecnicamente pelo Grupo de Trabalho Permanente para a Execução do Zoneamento Ecológico-Econômico, denominado de Consórcio ZEE-Brasil, de que trata o art. 6o deste Decreto.

Art. 3o  O Zoneamento Ecológico-Econômico do Território Nacional, no nível macrorregional e regional, será realizado pelo Governo Federal, observados os limites de sua competência.

§ 1o  O Zoneamento Ecológico-Econômico do Território Nacional norteará a elaboração dos planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social.

§ 2o  Os trabalhos de zoneamento serão conduzidos de acordo com os seguintes princípios:

I - abordagem interdisciplinar visando à integração de fatores e processos para possibilitar a elaboração de zoneamento, levando-se em conta a estrutura e a dinâmica ambiental e econômica, bem como os valores histórico-evolutivos do patrimônio biológico e cultural do País; e

II - visão sistêmica que propicie a análise de causa e efeito, permitindo estabelecer as relações de interdependência entre os subsistemas físico-biótico e sócio-econômico.

Art. 4o  As atividades de zoneamento ecológico-econômico serão exercidas pelo Ministério do Meio Ambiente, em conjunto com os Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e da Integração Nacional.

Art. 5o  A Comissão Coordenadora examinará e aprovará as programações e aplicações anuais de recursos referentes às dotações previstas nos planos plurianuais e às consignadas nas leis orçamentárias para o zoneamento ecológico-econômico, a fim de compatibilizar a execução e os resultados dos correspondentes trabalhos com a competência conjunta de que trata o art. 4o

Parágrafo único.  Serão igualmente analisadas e aprovadas pela Comissão Coordenadora:

I - as propostas de ampliação ou de redução de dotações relacionadas ao zoneamento ecológico-econômico; e

II -  as diretrizes para negociações e entendimentos com órgãos e entidades nacionais ou estrangeiras, objetivando a obtenção de financiamentos para o zoneamento ecológico-econômico.

Art. 6o  Fica instituído o Grupo de Trabalho Permanente para a Execução do Zoneamento Ecológico-Econômico, denominado de Consórcio ZEE-Brasil, com as seguintes atribuições:

I - executar trabalhos de zoneamento ecológico-econômico a cargo do governo federal;

II - servir como órgão de assessoria técnica à Comissão Coordenadora;

III - elaborar a linha metodológica do zoneamento ecológico-econômico do país em plano nacional;

IV - elaborar as linhas metodológicas para o zoneamento ecológico-econômico em nível nacional, levando em consideração todos os indicadores, tais como biomas, bacias hidrográficas e eixos nacionais de integração e desenvolvimento;

V - orientar a elaboração do termo de referência do zoneamento ecológico-econômico em nível nacional;

VI - coordenar o intercâmbio técnico e metodológico junto aos Estados, com vistas à elaboração e acompanhamento dos seus respectivos zoneamentos ecológico-econômico; e

VII - prestar assessoria técnica aos Estados da Federação.

Art. 7o  O Grupo de Trabalho Permanente será integrado por um representante de cada órgão e entidade a seguir indicados:

I - Ministério do Meio Ambiente;

II - Ministério da Integração Nacional;

III - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA;

IV - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM;

V - Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE;

VI - Fundação Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA;

VII - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA;

VIII - Agência Nacional de Águas - ANA; e

IX - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE.

X - Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba - CODEVASF;                 (Incluído pelo Decreto de 12 de fevereiro de 2004)

XI - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA; e                 (Incluído pelo Decreto de 12 de fevereiro de 2004)

XII - Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - CENSIPAM.                 (Incluído pelo Decreto de 12 de fevereiro de 2004)

XIII - Agência de Desenvolvimento do Nordeste - ADENE;                 (Incluído pelo Decreto de 14 de setembro de 2006)

XIV - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA; e                 (Incluído pelo Decreto de 14 de setembro de 2006)

XV - Petróleo Brasileiro S.A. - PETROBRÁS.                 (Incluído pelo Decreto de 14 de setembro de 2006)

§ 1o  As atividades do Grupo serão executadas na respectiva área de atuação de cada órgão ou entidade nele representado.

§ 2o  A coordenação dos trabalhos do Grupo será exercida pelo representante do Ministério do Meio Ambiente.

Art. 9o  A participação na Comissão Coordenadora e no Grupo de Trabalho Permanente é considerada como de relevante interesse público e não enseja qualquer tipo de remuneração.

Art. 10.  Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 11.  Revogam-se os Decretos nos 99.540, de 21 de setembro de 1990 e 707, de 22 de dezembro de 1992.

Brasília, 28 de dezembro de 2001; 180o da Independência e 113o da República.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
José Sarney Filho

Este texto não substitui o publicado no DOU de 31.12.2001

*