Brastra.gif (4376 bytes)

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 9.783 , DE 28 DE JANEIRO DE 1999.

(Revogada pela Lei nº 10.887, de 2004)

Texto para impressão

Dispõe sobre a contribuição para o custeio da previdência social dos servidores públicos, ativos e inativos, e dos pensionistas dos três Poderes da União, e dá outras providências.

        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

        Art. 1o A contribuição social do servidor público civil, ativo e inativo, e dos pensionistas dos três Poderes da União, para a manutenção do regime de previdência social dos seus servidores, será de onze por cento, incidente sobre a totalidade da remuneração de contribuição, do provento ou da pensão. (Vide Lei nº 10.887, de 2004) Vide ADIN 2010, de 1999

        Parágrafo único. Entende-se como remuneração de contribuição o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei, os adicionais de caráter individual, ou quaisquer vantagens, inclusive as relativas à natureza ou ao local de trabalho, ou outra paga sob o mesmo fundamento, excluídas:

        I - as diárias para viagens, desde que não excedam a cinqüenta por cento da remuneração mensal;

        I - as diárias; (Redação dada pela Medida Provisória nº 2.216-37, de 2001)

        II - a ajuda de custo em razão de mudança de sede;

        III - a indenização de transporte;

        IV - o salário-família.

        Art. 1o-A (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 2o A contribuição de que trata o artigo anterior fica acrescida dos seguintes adicionais: Vide ADIN 2010, de 1999

        I - nove pontos percentuais incidentes sobre a parcela da remuneração, do provento ou da pensão que exceder a R$ 1.200,00 (um mil e duzentos reais), até o limite de R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais);

        II - catorze pontos percentuais incidentes sobre a parcela da remuneração, do provento ou da pensão que exceder a R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais).

        Parágrafo único. Os adicionais de que trata o caput têm caráter temporário, vigorando até 31 de dezembro de 2002. (Revogado pela Lei 9.988, de 19.7.2000)

Vide ADIN 2010, de 1999

        Art. 3o Não incidirá contribuição sobre a parcela de até R$ 600,00 (seiscentos reais) do provento ou pensão dos que forem servidores inativos ou pensionistas. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)  Vide ADIN 2010, de 1999

        Parágrafo único. Será de R$ 3.000,00 (três mil reais) o valor da parcela de que trata o caput, quando se tratar de servidor inativo ou pensionista com mais de setenta anos de idade ou de servidor aposentado por motivo de invalidez. Vide ADIN 2010, de 1999

        Art. 3o-A. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 3o-B. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 4o O servidor público civil ativo que permanecer em atividade após completar as exigências para a aposentadoria voluntária integral nas condições previstas no art. 40 da Constituição Federal, na redação dada pela Emenda Constitucional no 20, de 15 de dezembro de 1998, ou nas condições previstas no art. 8o da referida Emenda, fará jus à isenção da contribuição previdenciária até a data da publicação da concessão de sua aposentadoria, voluntária ou compulsória. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 4o-A. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 5o A União, as autarquias e as fundações públicas federais contribuirão para o custeio do regime próprio de previdência social dos seus servidores públicos, observados os critérios estabelecidos na Lei no 9.717, de 27 de novembro de 1998.

        Parágrafo único. Aplica-se o disposto neste artigo às organizações sociais, com relação aos servidores detentores de cargo efetivo que compõem o seu quadro.

        Art. 5o-A. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Parágrafo único. (Vide Medida Provisória nº 167, de 2004)

        Art. 6o As contribuições previstas nesta Lei serão exigidas a partir de 1o de maio de 1999 e, até tal data, fica mantida a contribuição de que trata a Lei no 9.630, de 23 de abril de 1998.

        Art. 7o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

        Art. 8o Revogam-se a Lei no 9.630, de 23 de abril de 1998 e o art. 231 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

        Brasília, 28 de janeiro de 1999; 178o da Independência e 111o da República.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
Pedro Malan
Waldeck Ornélas
Paulo Paiva

Este texto não substitui o publicado no D.O.U. de 29.1.1999